sábado, 3 de outubro de 2009

Hoje ela é só

 

Ela já não é mais a mesma.
O sorriso fácil já não consegue oferecer.
Antes ela era leveza e  alegria.
Hoje ela é só.
Hoje ela carrega consigo todas as marcas
deixadas por quem não soube valorizar seu colo.

Queria ela, que todas as marcas fossem sumindo com o tempo.
Despero!
Não chega a tanto.
Deseperar-se ela não irá.
Só sente, chora, cala, ouve e algumas vezes rir.
[Poucas vezes ela se sente só também]

Ela é bem mais o que pensa ser.
De veras ela irá chorar algumas noites em seu sofá
Mas todas as noites irá lembrar que tudo que ela mais quis foi amar.

Amar, perdoar...
Esquecer, viver...
Iludir, desiludir...
E esperar.




3 comentários:

Gil Costa. disse...

A constante espera...
até quando?

bjo, amo vc.

Gil Costa. disse...

A constante espera...
até quando?

bjo, amo vc.

Silvania disse...

Selinho pra vc no meu blog..

Ahh, post lindo...inspiração mim..
bjoo